Psicólogos oferecem atendimento voluntário para profissionais da saúde do Sul do Rio


Um grupo de psicólogos se juntou para oferecer atendimentos voluntários a profissionais que trabalham na área da saúde em cidades do Sul do Rio de Janeiro. O objetivo é tentar minimizar os impactos psicológicos em trabalhadores que estão na linha de frente no combate ao coronavírus. As consultas estão sendo feitas pela internet.


"A ideia é proporcionar esse espaço para que eles possam falar de suas questões e implicações diante das pressões nas quais estão sendo convocados o tempo todo. Ter um lugar para isso diminui os impactos emocionais e permite a atuação prática com menos sobrecarga psíquica", explicou a psicóloga Fernanda Seixas, uma das profissionais que tiveram a iniciativa do projeto.

Na primeira etapa de mobilização, 45 psicólogos ofereceram espaço na agenda para o atendimento. O público-alvo são enfermeiros ou qualquer pessoa que trabalhe em um hospital ou postos de saúde, seja na limpeza ou na parte administrativa, que não tenham condições de pagar pelo tratamento.

"Nós vamos distribuindo de acordo com nosso cadastro de voluntários. Uns profissionais disponibilizaram um horário, outros disponibilizaram dois horários. Por enquanto, estamos com mais psicólogos do que pacientes. O profissional que quiser se juntar ao grupo de voluntários será bem-vindo", explicou Fernanda. O próximo passo é criar um canal com representantes de hospitais e postos de saúde para divulgar o projeto por toda a região.

"Já estava realizando os atendimentos de um modo informal e a demanda foi crescendo. Quando percebi que não daria conta sozinha, acionei outros colegas. Eles prontamente se dispuseram a participar do projeto. Hoje, temos um plano de ação que foi elaborado junto com profissionais que compõem a equipe. Realizamos o cadastro desses profissionais que se voluntariaram e estamos recebendo os contatos dos profissionais de saúde que estão interessados no tratamento", detalhou a psicóloga.

Fernanda contou que já foi procurada por outros profissionais que têm interesse em replicar essa ideia em outras regiões. "É o modo como podemos contribuir com nosso saber. Não é somente um gesto de solidariedade. O psicólogo tem o compromisso ético com o bem estar social. Além disso, podemos trazer esperança e incentivar movimentos para que outras pessoas possam entrar na mesma sintonia e perceberem como também podem ajudar e serem úteis", finalizou.

Como fazer parte ou solicitar o atendimento

Os interessados no atendimento e os psicólogos que quiserem fazer parte do projeto devem entrar em contato com os profissionais que tiveram a iniciativa do projeto por telefone. Os números são:

  • Fernanda Seixas: (24) 98109-0652

  • Sérgio Cintra: (24) 98808-3972


Conselho de psicologia permite a prática

O Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro não impede a prestação de serviços psicológicos de forma voluntária, mas destacou algumas orientações em um comunicado publicado em seu site oficial.

"Os profissionais devem ter uma proposta de trabalho com início, meio e fim, ou que garanta a gratuidade por todo o período da prestação do serviço. Salienta-se que deve haver o compromisso profissional estabelecido, com direitos e obrigações, como em qualquer outra situação de sua prática. Portanto, é necessário atentar aos preceitos do Código de Ética Profissional do Psicólogo e demais normativas do Sistema Conselhos de Psicologia do Brasil", informou.


Fonte G1

0 visualização