Primeira paciente infectada com novo coronavírus no RJ é liberada


Foi liberada do isolamento domiciliar a primeira paciente diagnosticada com o novo coronavírus no Rio de Janeiro. A mulher é advogada, tem 28 anos e passou as férias na Europa. O repórter Marcelo Bruzzi conversou com ela por telefone. O diálogo foi exibido nesta sexta-feira (20) na GloboNews.


Ao voltar da Europa, em fevereiro, a mulher cumpriu as orientação das autoridades de saúde e recentemente foi liberada da quarentena sem risco nenhum de transmitir a doença a outras pessoas. A moça mora em Barra Mansa, no Sul do Rio de Janeiro. Mesmo curada, ela pediu para não ser identificada por medo do preconceito.

"Foi um momento de desespero porque eu não tinha os sintomas do coronavírus. E por um tempo eu vivi normalmente, como se fosse uma sinusite e eu não fosse contaminar ninguém. Eu vi familiares e vi colegas de trabalho. Então, eu não tava preocupada com a minha saúde porque eu não tinha nada. Não me sentia mal. Eu só me preocupava com ter contaminado alguém que poderia ficar com um quadro mais grave", declarou a mulher.

A advogada contou que nunca sentiu os sintomas que são amplamente divulgados, como febre, tosse e coriza. Por outro lado, ela disse ter sentido incômodo no rosto, cansaço e dor de cabeça. "Vinte e sete de fevereiro, eu comecei a sentir dor nas costas, e pensei que poderia ser algum problema respiratório, alguma coisa assim, mesmo não tendo falta de ar em momento nenhum."

Ela relatou ter contado muito com o apoio de familiares e amigos, que fizeram compras, comida. A advogada frisou que não teve contato com eles, que os mantimentos eram deixados na porta da casa dela.

"Se eu não tivesse o apoio da minha família, eu, com certeza, não conseguiria passar por isso bem da forma emocional", ressaltou.

A advogada afirmou que recebeu a notícia de que estava curada pela Secretaria Municipal de Saúde de Barra Mansa. Como ela já não apresentava mais sintomas, a pasta informou à mulher que ela já poderia sair do isolamento domiciliar.

Fonte: G1

0 visualização