Doenças causadas pelo Aedes Aegypti preocupam moradores de Paraíba do Sul


O alto índice de casos de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti preocupa moradores de Paraíba do Sul, RJ. Segundo a Vigilância Ambiental, nos últimos quatro meses, foram registrados 83 casos de chikungunya e 12 de dengue — não houve nenhum registro de zika. Outros 71 casos aguardam o resultado dos exames.


Diariamente, cerca de 100 pessoas chegam ao Hospital Nossa Senhora da Piedade com sintomas de dengue, zika e chikungunya. Os pacientes são tratados e os casos confirmados são encaminhados a Secretaria Municipal de Saúde.


“Esse pacientes acabam muitas vezes retornando ao hospital com a dores. A gente faz a medicação e eles retornam para suas casas, porque é um acompanhamento” contou a diretora do hospital, Jeisan Bernardes.


A maioria dos moradores do bairro Bela Vista teve ou está com os sintomas de alguma dessas doenças. A dona de casa, Maurina Nascimento de Oliveira, se recupera das dores e da perda do marido, Jayme Inácio, de 81 anos, que foi levado ao hospital com fortes dores no corpo e febre. No atestado de óbito, uma das causas da morte foi a dengue.


“Ele sentia muita dor na articulação, muita febre e não conseguia andar direito. Aí começou a fazer vômito, foi então que eles internaram”, contou.


A situação se repete no caso da artesã Vera Lúcia do Nascimento Abreu. Ela recebeu o diagnóstico de imediato. “O exame não pode ser feito logo no início porque da negativo. Ai eu fiz com dez dias e deu positivo”, disse.


O coordenador do setor epidemiológico alerta sobre a importância da participação da população na solução do problema, já que 90% dos focos do mosquito são encontrados em residências. “Evitar plantas em pratos com água, tampar as caixas d’águas, evitar aquela tampinha de refrigerante que fica acumulando água... É importante tomar esse tipo de cuidado que pode entrar nos hábitos diários de cuidados com a casa. Quando a gente consegue ter um controle nessas situações, conseguimos diminuir os casos no nosso município”, alertou.


Fonte G1

0 visualização